Vem aí a Feira Franca!

2014-07-31
Feira
Uma feira, franca e multicentenária, que muito prestigiou a nossa freguesia.

Até determinada altura, na noitada fervilhava gente até mais não. Tanto gente cá da terra, como outros vindos das freguesias em redor.

Para além da tão esperada "matança do boi" - decorriam os anos do pós-minério e muitas famílias tinham na malga do sangue ou no bucho que então era distribuído aos bocados, com que suavizar a larica dos filhos.- tinha, como atrás se diz, a noitada, onde nunca faltavam as limonadas ou os pirolitos, mais a fumegante púcara do café e era assim que todos mantinham os olhos arregalados até alta madrugada.

Tinham lugar os descantes e as guitarradas, que então tinham por principais protagonistas, o popular "Zé Fina" e o carismático "Ti Furmino da Granja".

Só que tudo isso, lá foi. Somente (quase) resta o recordar. Ainda que - e é imperioso que tal se diga - muitos nunca regateiem esforços no sentido de manter bem viva A NOSSA FEIRA FRANCA. Desde logo, abancando na véspera para dar cabo duma prateirada de bogas ou das batatas a murro, que alindam a posta do fiel amigo. Algo que ali sabe pela vida!


Vinham de longe os feirantes
tinha a matança do boi
mas tudo isso era dantes
já tudo isso se foi

Já não há as limonadas
nem a quentinha chicória
e até as desgarradas
também passaram à história

Alinhavam os mendigos
da Barroca à padaria.
Mais um postal dos antigos
que não se vê hoje em dia

Não mais a venda de gado
não mais o sangue à tigela
que a todos era dado
para endireitar a espinhela

Vale o Rancho para avivar
esta feira que é anual
onde não podes faltar
dando força ao arraial

Fazendo disto bandeira
(tu também quase que aposto);
que quem gosta de Nespereira
Nunca falhe a seis de Agosto!

Adicionar comentário