Teatro, cinema, caminhada e emoção dos carrinhos de rolamentos

2011-05-24
Carrinhos de Rolamentos «Rampa da Pedra da Moura»
Para o fim-de-semana de 20, 21 e 22 do Maio Cultural, a Junta de Freguesia de Nespereira apresentou um programa dedicado, em especial, à cultura e ao desporto. Na sexta-feira teve lugar o visionamento do filme "Pátio das Cantigas" no Centro Paroquial em Santa Marinha. No sábado realizou-se o percurso pedestre "Conhecer e Valorizar o Património" e à noite, novamente no Centro Paroquial, a peça de teatro "O Consultório" fez soltar fortes garalhadas a uma plateia lotada.

No domingo, dia 22 de Maio, foi a vez da tradicional corrida de carros de rolamentos "Rampa da Pedra da Moura" a centrar as atenções e a atrair à estrada da VIsta Alegre centenas de pessoas.

Cinema «O Pátio das Cantigas»Cinema «O Pátio das Cantigas»Percurso Pedestre «Conhecer e Valorizar o Património»Percurso Pedestre «Conhecer e Valorizar o Património»Percurso Pedestre «Conhecer e Valorizar o Património»Percurso Pedestre «Conhecer e Valorizar o Património»Carrinhos de Rolamentos «Rampa da Pedra da Moura»Carrinhos de Rolamentos «Rampa da Pedra da Moura»Carrinhos de Rolamentos «Rampa da Pedra da Moura»Carrinhos de Rolamentos «Rampa da Pedra da Moura»Carrinhos de Rolamentos «Rampa da Pedra da Moura»Carrinhos de Rolamentos «Rampa da Pedra da Moura»
Na sexta-feira, no prosseguimento do Maio Cultural, foi o cinema, através do imortal "Pátio das Cantigas" que fez vibrar quantos foram até ao Centro Paroquial. A juntar às muitas e variadíssimas peripécias dos insubstituíveis protagonistas que a "fita" avivou aos mais entradotes, foram as gargalhadas dos presentes que adoçaram o ambiente, como que a dar certo brilho à sessão que em boa hora fora agendada.

Ficou bem patente que se impõe a passagem de outras relíquias do género, seja inserido nos próximos "Maios" ou ao longo do ano, tal foi o êxito alcançado. Merece, assim, os inânimes parabeens, quem teve a idéia de fazer "ressucitar" aquilo que, de todo, se enquadra nas festivas festas de todos nós.

No sábado, a partir das 10:00 horas teve lugar a caminhada, com início junto ao lendário pelourinho. Com idades compreendidas entre os dez e os setenta anos, os participantes afoitaram-se a caminho do alto, passando pela Portela, Portas Vermelhas, Souto (tudo lugares com direito a paragem, logo à intervenção do "ferrinho" Pedro que a todos esclarecia quanto à valia histórica desta ou daquela pedra, deste ou daquele marco da história e que a incúria dos homens ainda não deu...por achados), Santa Marinha e a novidade, para a maioria dos participantes, chamada Vale de Ferreiros, onde se impunha fazer uma incursão até Valinhas pelo caminho que outrora fora a nossa "auto-estrada" a caminho da vila de Cinfães, quando em causa estava o pagamento da malfadada sisa ou do juramento que por Deus, diziam, iria ser verdadeiro como o azeite.

Já no regresso, todos os participantes tiveram o gosto de ver (ou rever) o lindo interior da Igreja de Santo Irício - tão perto de todos e tão distante do conhecimento de muitos!... - uma visita à mão de semear, sem custos ainda para mais e que de certeza merecerá o aval de todos quantos tenham o gosto de conhecer o que de melhor tem Nespereira.

À noite, no Salão Paroquial, foi a vez do Grupo de Teatro da Casa do Povo de Nespereira levar à cena a peça de teatro "O Consultório". Com a sala a rebentar pelas costuras, pouca gente, para não dizer ninguém terá questionado a falta do ar condicionado, tal era o entusiamo. De facto, a exemplo do que dissemos a respeito do cinema, será de repetir tais iniciativas. A não ser assim, é de café para a pastelaria, desta para os cafés e mais nada. Mesmo a pagar - baratinho como a crise impõe - as gentes de Nespereira aparecem e porque por cá existe "pano para mangas" no que respeita aos comediantes e actores, não esmoreçam.

Tal iniciativa se redundou num êxito que vem valorizar o "Maio Cultural" - o presidente Leitão fez logo ali os devidos agradecimentos - veio transmitir aos nespereirenses a certeza de que podem esperar mais e mais dos tâo irreverentes como experientes componentes que a Casa do Povo saca em três tempos, como o ilusionista faz com os coelhos a sair da cartola.

A exemplo do que tem acontecido em anos anteriores,a prova dos "Carrinhos de Rolamentos" levou até às imediações da Pedra da Moura gentice até mais não. Ainda de manhã, dez horas mais ou menos, já as "boxes" fervilhavam com os participantes apressados em fazer a necessária inscrição. Ma mesa das "validações", a Xana, a Sofia e habituais colaboradoras não tinham mãos a medir. Cedo também, lá apareceram os homens da GNR, sendo certo que só ao findar do dia deixaram de velar pela segurança de quantos quiseram presenciar as mirabolantes descidas, tanto dos de cá, como dos que engrossam o lote dos participantes no "Nacional" da especialidade.

O próprio presidente da Junta local, Mário Leitão - habituado a dizer que sim a tudo o que seja "p'rá frentex" - se não ousou descer como muitos, em cima de três tábuas e quatro rodinhas pouco maiores que a moeda de dois euros, esteve no local e na hora certa não deixou de comunicar a quem de direito os elementos referentes aos que entenderam valorizar mais uma prova, mais um dia que fica a marcar o Maio Cultural de 2011.

A prova de este ano bateu um recorde de participações, já que se de Nespereira foi a abeirar dos cinquenta participantes, ao todo foram sessenta e oito os que ousaram descer lá do alto.
carminia paiva
2011-05-24 | 19:58
Exelente

Adicionar comentário