Maio Cultural: outro fim de semana em grande!

2017-05-16
Maio Cultural: outro fim de semana em grande!
De facto, terá excedido as expectativas mais otimistas, o modo como decorreu este já popular evento. Tanto no que se refere à participação de quantos/as tinham à sua disposição uma tenda para a mostra/venda de produtos cá da terra - fumeiro a pedir meças ao de Vinhais, Montelegre e quejandos, também o bonito artesanato, a par de outras tendas onde imperava o bom gosto que nos carateriza - passando pelos grupos folclóricos e orquestras.
Também merece uma referência elogiosa, a maneira como o pessoal do nosso Rancho Folclórico soube acolher quem teve a dita de abancar no tenda gigante, dentro da qual servia os pratos tradicionais que de ano para ano vão ganhando mais adeptos. (De tal simpatia bem podia servir de exemplo o modo como os visitantes eram acolhidos, quer no setor das pataniscas, quer bem ao lado, na mesa onde em jeito de aperitivo, "dançavam" as tigelinhas com um "verde" de se lhe tirar o chapéu!).

Mas passamos ao relato do que se passou. Assim, no dia 12 (sexta-feira), tivemos um bonito serão proporcionado pelos "Quinta Essência", já reincidentes nesta nossa festa anual, cuja atuação agradou em pleno. A "jogar em casa" - mais parecia! - souberam partilhar a sua música com alguns jovens ali presentes, algo que agradou ao público e em particular àqueles que puderam atuar, quer fora, quer ao lado deles, em cima do palco.

No sábado, dia 13, foi a vez do nosso Rancho Infantil, a par do congénere "Pérolas do Campo" que provinha de Tondela emprestarem a costumada alegria; seguiu-se a atuação da Escola de Concertinas (Pias-Cinfães) e depois, a vez dos "Contradança", grupo cá da terra e que à maneira deram brilho à fama de que aqui em Nespereira a música merece a fama que muitos lhe conferem.

Uma nota mais é devida: ainda que inserida no rol de quantos abriram ao público as tendas a que tinham ganho direito, merece o elogio geral, quer a "mostra" do livro "Poemas Serôdios", da autoria do prof. António Salazar - numa das fotos vemo-lo a receber das mãos do presidente Mário Leitão uma lembrança da presente efeméride - quer a exposição promovida pela Associação Ardena, qual apelo para que no futuro se aprenda mais e melhor a preservar a fauna e a flora com que a Mãe Natureza, nos presenteou!

Também o "Poeta do Cravo Branco", nosso conterrâneo soube manter bem vivo o vivo ambiente que se vivia e à noite, tivemos a atuação de três Ranchos Folclóricos: o anfitrião, o de Pias (Cinfães) e o da vizinha localidade de Vilar de Arca. Sempre aplaudidos por quantos não arredavam pé! Finalmente, atuaram os "Finfas de Paradela", cuja música vez vibrar/dançar aqueles que só bem no final de tão bonito serão deixaram a Praça do Mercado.

No Domingo, dia 14, para além da recepcão dada a respeito do "Livro de Honra" - já mereceu reportagem noutro local - teve lugar a atuação do Grupo de Bombos Infantil da Casa do Povo e à noite, por volta das 21.30 horas, subiram ao palco "Os Raimundos", cuja atuação fez com que muitos se atrevessem ao pézinho de dança de que tanto gostam e até o "maire" de Royère, Raymond, dançou a bom dançar. (Escolheu bem o par, até porque na oportunidade, deu mostras de bem receber quem de visita às nossa paragens!...). Certo é que ninguém saiu dali, sem que da meia noite passasse muito tempo.

Em boa verdade, basta uma palavra para definir o que se passou: Valeu!

Adicionar comentário